segunda-feira, 28 de abril de 2008

Vivendo e aprendendo..

Que não é necessário beber para que uma festa fique boa, e que beber demais pode estragar uma que ainda tinha muito pra render. Que, afinal, todas as mães do mundo tinham razão ao dizer que não devemos beber nada que estranhos nos ofereçam. Que um desconhecido pode vir e se oferecer pra ajudar, quando parece que vc está na última. Que, quando vc está rindo encostado à parede, pode passar um amigo e dizer: 'vc parece ser muito legal', e isso pode lhe alegrar. Que, às vezes, pode haver uma completa inversão de papéis e - vejam só - a sua irmã mais nova pode se ver obrigada a lhe carregar por aí, e lhe comprar água e posteriormente um xis, e pode se sair muito bem na tarefa. Que vomitar pode lhe fazer sentir muito melhor. Que 'sabe-se lá onde vc vai parar quando faz festa na lima e silva', como ficou muito bem comprovado pela Char. Que, às vezes, só às vezes, e pode parecer completamente velhice dizer isso, mas a sua cama é o lugar em que vc mais quer estar. E, por último e talvez principalmente, que certas cabras nunca mudam.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Ney Matogrosso

Orgasmos internos múltiplos e intensos assistindo ao show Inclassificáveis. M A R A V I L H O S O como sempre, sempre Ney Matogrosso. A cada troca de vestuário, de aparatos e parafernália de palco, a cada refrão cantado ou a cada semblante risonho de quem é pego fazendo alguma arte deflagrado. A voz mais bonita do nosso Brasil (que Cauby Peixoto, o quê?!), o sessentão mais gato que já existiu. Da próxima vez eu vou. Prometo. Pra gritar: 'casa comigo, Ney'. Quem sabe?

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Órfãos do Holocausto


Espetáculo baseado na obra de Bertolt Brecht, a partir de cenas escritas pelo autor acerca do Terceiro Reich alemão.
"Cabe sem dúvida afirmar que, através de toda a história das artes cênicas no Ocidente, nunca a aliança entre as criações práticas e as preocupações teóricas tenha se dado de modo tão completo e tão íntimo quanto na obra de Brecht."

TEMPORADA: Sábados e domingos de abril, às 20h15min., no Neelic da Usina (Sala 504 da Usina do Gasômetro). INGRESSOS À VENDA UNICAMENTE NO LOCAL: R$ 10,00 (50% desconto para estudantes, artistas, idosos e professores).

Indico totalmeeente ;*

sábado, 19 de abril de 2008

Máxima

Sempre soube que havia lobos que se escondiam sob a pele de cordeiros.
Só não sabia que havia alguns que se disfarçavam sob a pele de ursinhos.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Especial Chico Buarque *-*


Mais um especial Chico Buarque, com a banda Roda Viva, na Cidade Baixa. Dessa vez uma companhia diferente. Mais uma vez espetacular. Sambei a noite toda; dancei, pulei, cantei, quase perdi a voz. Encontrei a Fê e a Karol (que estão se tornando presença constante nas minhas saidinhas), consegui fazer a Char se enturmar, tirei alguns meninos pra dançar. Ri da estranheza de uns quanto à música, da cara da Karol quando tomou vodka achando que era água, do menino que pisou mais de sete vezes no meu pé. Sentei com a Char para beber uma cerveja e, muito antes que acabasse a garrafa ou mesmo o copo, pulei do sofá para correr pra perto do palco e cantar pertinho e junto 'João e Maria'. Me diverti, ouvi algumas músicas que ainda não conhecia, breteei horrores, perdi as esperanças no brete, conheci um Ramiro e, no final da noite, eu estava com aquele que eu queria estar. A melhor trilha sonora, com certeza.

'Eu não sei bem com certeza porque foi que um belo dia
Quem brincava de princesa acostumou na fantasia'


segunda-feira, 14 de abril de 2008

Parabéns, Char



Não importa, se ela faz aniversário antes de mim e sempre fica mais velha primeiro (hunf). O que realmente importa é tudo que ela representa pra mim, tudo o que passamos e ainda passaremos juntas, mas pricipalmente o quanto eu a amo. Já são mais de doze anos desde que ela entrou na minha vida; meu relacionamento mais duradouro certooo, e que dure mais - deixa ver - a vida TODA. Desentendimentos, rolos?! Óbvio que eles existiram e ainda podem vir a existir, se não, não seria um relacionamento real. Mas tudo que falaram, falam ou falarão de nós, é intriga da oposição.

Quero dizer que eu te desejo toda a felicidade do mundo todo; muita saúde, paz, amor, dinheiro no bolso, pessoas que tu ama ao teu lado, amizades, festas, tardes, enfim, tudo tudo tudo de bom pra ti, tu merece! Eu te amo muito, e tu te tornou MUITO importante pra mim.

sábado, 12 de abril de 2008

Feliz aniversário, Rainha das Mangas.

Na noite em que o Lory nasceu, eu ganhei uma mamadeira. Eu estava em casa com o papai, meio que total super estressadinha com aquela história de ficar observando o pai montar o berço e tals, e também me sentindo master órfã pela mamãe não estar em casa. Sei lá, é mais ou menos disso que eu me lembro. Curiosamente, eu não me recordo de quando ela chegou ou dos dias que se seguiram (tá, talvez não tão curiosamente assim,eu tinha só três anos). E agora eu tô aqui, querendo desejar feliz aniversário pra ela, torcendo pra que os meus presentes tenham agradado e que ela não seja surpreendida pela chuva enquanto perambula pela cidade com seus amigos, e meio que não tenho o que dizer pois, no dia em que ela comemora o seu nascimento, é também o dia em que faz (no caso de hoje, bem entendido) dezesseis anos do dia em que eu ganhei o meu melhor presente *-*

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Ney Matogrosso - Inclassificáveis


Que preto, que branco, que índio o quê?
Que branco, que índio, que preto o quê?
Que índio, que preto, que branco o quê?
Que preto branco índio o quê?
Branco índio preto o quê?
Índio preto branco o quê?

Aqui somos mestiços mulatos
Cafuzos pardos mamelucis sararás
Crilouros guaranisseis e judárabes

Orientupis orientupis
Ameriquítalos luso nipo caboclos
Orientupis orientupis
Iberibárbaros indo ciganagôs

Somos o que somos
Inclassificáveis

Não tem um, tem dois
Não tem dois, tem três
Não tem lei, tem leis
Não tem vez, tem vezes
Não tem Deus, tem Deuses
Não há sol a sós

Aqui somos mestiços mulatos
Cafuzos pardos tapuias tupinamboclos
Americarataís yorubárbaros

Somos o que somos
Inclassificáveis

Que preto, que branco, que índio o quê?
Que branco, que índio, que preto o quê?
Que índio, que preto, que branco o quê?
Não tem um, tem dois
Não tem dois, tem três
Não tem lei, tem leis
Não tem vez, tem vezes
Não tem deus, tem deuses
Não tem cor, tem cores
Não há sol a sós

Egipciganos tupinamboclos
Yorubárbaros carataís
Caribocarijós orientapuias
Mamemulatos tropicaburés
Chibarrosados mesticigenados
Oxigenados debaixo do sol

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Segunda Maluca - Júpiter Maçã




Opinião, 22h30min (obviamente na segunda-feira, dã), e as catgêmeas dando uma olhada ao redor pra ver se era seguro/aconselhável entrar. A primeira com uma Skol, a segunda (bicha) com uma keep cooler de morango e uma identidade falsa na mão, elas vão em frente. E descobrem, pasmas, duas coisas: primeiro, que não é necessário apresentar identidade na entrada [e todo aquele trabalho por nada uhr] e, segundo, que haviam se arrumado demais para a ocasião e eram realmente as mais gatas do local *-*

Show master blaster legal, valeu até a dor nas costas, um cara cair em cima de mim e eu ter que chutá-lo posteriormente, a roda punk invadindo meu espaço e eu me conscientizando que preciso fazer um tratamento para controle da raiva (Jack Nicholson, por favor! e dois copos!).


♪ E o nome de-e-e-la: Miss Lexotan 6mg

Sábado, 05 de abril

Esse sábado foi bem interessante, como há muito um não era. Levando em conta a carona, a conversa com a Grazi, os milhares de ônibus que eu tive que pegar, o reencontro com uma família que eu não via há tempos, o abraço na aniversariante, as quatro bolas que eu 'encaçapei' na sinuca, o Colégio de Aplicação em peso invadindo o aniversário da Di, a indecisão sobre 'pra onde nós vamos!?', ver a Carol (*-*), dançar com toda a população masculina do Mr. Dan e ainda conhecer um menino bem querido e ursinho, acho que dá pra dizer que realmente valeu a pena ter saído de casa.

Cheers!

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Plagiando

'E elas moravam numa casinha , numa serra de flores e pedras,habitavam a casa do pai, trilhas de amor por toda serra.' by Tia Ivanise

terça-feira, 1 de abril de 2008

Carteira Nacional de Habilitação

Ontem foi minha prova prática de direção e, para alegria de todos e - talvez - surpresa geral da nação, deu tudo certo e em breve recebo minha carteira de motorista e passo a passear de carro por aí, fazendo parte daquele seleto grupo dos que passam na avaliação prática pela primeira vez, do qual já faz parte meu pai. Foi superdivertido, apesar das minhas mãos estarem tremendo um pouco e eu mesma estar tremendo nas bases. O examinador até que era bem queridinho, apesar de ter um nome super estranho. Sorte que não foi aquela mulher com cara de 'do mal' que me examinou, senão já eras.

.o/ quando a carteira chegar, posto-a aqui também.